Nomes que Fizeram História

índice de nomes

Laplace

página inicial

PIERRE SIMON LAPLACE  (1749 - 1827)


Astrônomo e matemático francês, Marquês de Pierre Simon Laplace nasceu em Beumont-en-Auge, Província da Normandia, em março de 1749. Filho de uma modesta família de fazendeiros, revelou um grande talento e perspicácia para a matemática enquanto estudava teologia em um colégio de Caen.

Embora de origem modesta, foi enviado para estudar na Escola Militar de sua cidade natal graças a amizade de alguns vizinhos de seu pai, mais abastados e esclarecidos, e que viram no jovem garoto um potencial que deveria ser explorado. Pouco depois tornou-se professor de matemática nessa escola. Em 1767 conseguiu ser convidado para a Real Escola Militar de Paris, após encaminhar insistentes cartas com sua própria recomendação a Jean d'Alambert, um dos matemáticos mais célebres da época. Inicialmente não recebeu qualquer resposta, mas após enviar a este mestre um talentoso trabalho sobre os princípios gerais da Matemática, acabou recebendo o esperado convite.

Em Paris, Laplace tinha o objetivo de continuar seus estudos, não só de astronomia e matemática, mas também de física, química e até de medicina. Por volta de 1784 tomou parte na organização da Escola Politécnica e da Escola Normal, e ingressou na antiga Academia de Ciências. Em uma série de trabalhos apresentados a esta Academia, demonstrou que as irregularidades do sistema solar se corrigiriam por si, durante tempos infinitamente longos. A partir daí seu nome passou a ser respeitado e aos vinte e quatro anos de idade foi admitido como membro associado desta Academia, da qual se tornou membro ordinário doze anos depois.

Daí em diante foi distinguido por vários cargos políticos de importância, entre os quais o de Ministro do Interior em 1796, com Napoleão, e o de vice-presidente do Senado em 1803. Também foi nomeado conde do Império em 1806, aliando-se em 1814 a Luís XVIII, em face da queda do poder de Napoleão. Figurou como um dos "40 imortais" da Academia Francesa quando Luís XVIII o fez par e marquês do Reino da França.

Apesar dos cargos públicos e do relacionamento com os principais dirigentes de seu país, dizia-se que Laplace nunca teve grandes convicções políticas. O que ocorria de fato, como seria de se esperar em uma época politicamente conturbada, era que Laplace procurava se manter em paz com cada regime que aparecesse, incluindo em suas obras elogios fervorosos ao grupo que estivesse no poder. Porém, o fato é que o grande gênio reconhecido de suas obras facilitava a Laplace sempre conseguir a reputação necessária para se manter em uma situação politicamente estável.

Laplace desenvolveu grandes trabalhos em astronomia, inclusive com sua mais célebre obra "Traité de Mécaniqué Celeste", onde a partir de explicações matemáticas baseadas na teoria da gravitação universal, é apresentada a hipótese cosmogônica segundo a qual o sistema solar teria se originado de uma nebulosa em rotação de gás incandescente girando em torno de um eixo que, ao esfriar, se contraiu causando uma rotação cada vez mais rápida até que da camada externa se desprenderam sucessivos anéis que formaram os planetas. O centro restante da massa de gás, em rotação, constituiu o sol. Esta idéia ainda serve de inspiração para as teorias atuais. 

Esta publicação marcou o auge da teoria de Newton, explicando todas as perturbações do sistema solar a exemplo das perturbações mútuas de Júpiter e Saturno, sua estabilidade e seu movimento secular, inclusive explicando o movimento das marés, dispensando a existência de alguma intervenção divina em certas ocasiões e reunindo em uma única doutrina tudo o que havia de esparso entre Newton, Halley, D'Alembert, Clairaut e Euler, sobre as conseqüências da gravitação universal.

De uma forma mais geral, a vida de Laplace poderia ser dividida em quatro períodos mais ou menos distintos:

No primeiro período (1768-1778), Laplace desenvolveu a solução de problemas de cálculo integral, matemática astronômica, cosmologia e teoria de chances de jogos. Durante este período ele estabeleceu seu estilo e reputação, posição filosófica, certas técnicas matemáticas e um programa de pesquisa em duas áreas: probabilidade e mecânica celestial, nas quais, a partir de então, trabalhou para o resto de sua vida.

No segundo período (1778-1789), ele iniciou a pesquisa na sua terceira área de maior interesse: a física. Sua colaboração foi, juntamente com Lavoisier, relativa à teoria do calor. Nesta época realizou as primeiras medidas calorimétricas relativas aos calores específicos e às reações químicas em 1780. Estabeleceu a fórmula das transformações adiabáticas de gás e formulou as duas leis elementares do eletromagnetismo.

No terceiro período (1789-1805) centralizou-se na preparação do Sistema Métrico e mais especificamente na década de 1795 a 1805, sua influência foi fundamental para as ciências exatas no mais novo instituto fundado da França: a Escola Politécnica. Este foi o local onde a primeira geração de físicos matemáticos foi treinada.

No quarto período (1805-1827), Laplace, em companhia de um amigo químico chamado Berthollet, fundou uma escola circundando ele mesmo com disciplinas na informal Société d'Arcueil. O centro de seu interesse foi em física: ação capilar, teoria do calor, óptica corpuscular, refrações, medidas barométricas e a velocidade do som.

No começo de 1810 Laplace voltou novamente sua atenção para a probabilidade, tomando como tópico fundamental a teoria dos erros, publicando em 1812 a "Théorie analytique des probabilités", onde, como o próprio nome sugere, são abordados aspectos desta ciência.

Foi neste período que Laplace desenvolveu um método de solução integral para equações diferenciais: a Transformada de Laplace, cuja teoria, aliás, o consagrou na área de cálculo devido a praticidade oferecida na resolução de equações diferenciais.

Em física, tornou famoso um personagem fictício que criou para mostrar os limites do conhecimento e da força, em uma concepção determinista da natureza, o dito "demônio de Laplace". Este personagem seria capaz de prever o comportamento futuro e passado do universo, caso lhe fosse fornecida a velocidade e a posição inicial de uma partícula em especial, informação esta, obviamente impossível de ser obtida na prática. Sobre Laplace, ainda, há uma anedota na qual ele teria respondido a Napoleão Bonaparte, depois de saber que este notaria a ausência do nome de Deus em sua obra: "- Não necessito dessa hipótese."

Laplace faleceu em Paris, em 1827.


 

índice de nomes

Laplace

página inicial