Nomes que Fizeram História

índice de nomes

Fibonacci

página inicial

FIBONACCI - LEONARDO DE PISA   (aprox. 1170 - 1250)


Leonardo de Pisa, mais conhecido como Fibonacci, nasceu por volta do ano de 1170 provavelmente em Pisa, Itália. O nome de Fibonacci (filho de Bonaccio), foi dado a ele por Baldassare Boncompagni, o editor dos seus trabalhos no século XIX. Seu pai chamava-se, provavelmente, Guilielmo Bonnacci, e era um grande mercador de Pisa, tendo uma extensa rede de negócios comerciais em Bugia, no norte da Costa Africana, na atual Nigéria.

Leonardo de Pisa passou alguns anos do começo de sua vida aprendendo árabe e estudando sob a orientação de professores islâmicos. Depois fez muitas viagens pelo Mediterrâneo (Egito, Síria, Grécia, Sicília, Provença), provavelmente em negócios para seu pai. Em cada local onde esteve fez contato com escolas islâmicas, buscando adquirir o conhecimento matemático do mundo árabe e também dos hindus.

Depois voltar a Pisa, por volta de 1200, Leonardo ficou por 25 anos escrevendo trabalhos, nos quais está incorporado muito do que ele aprendeu durante as suas viagens. Um deles, que tem sido preservado, inclui três das suas grandes obras: o Liber abbaci (1202, 1228), o Practica geometrae (1220) e o Liber quadratorum (1225).

A importância do trabalho de Leonardo foi reconhecida na corte do rei Frederico II e também na cidade de Pisa, na qual em 1240 lhe foi concedido um salário anual como forma de agradecimento pelo seu ensino e outros serviços prestados à comunidade.

Leonardo de Pisa foi um dos últimos escritores europeus sobre Álgebra, tendo como sua obra prima o Liber abbaci ou Livro do cálculo. A palavra abbaci, que provém do ábaco, não se refere a esta ferramenta, mas simplesmente ao estudo do cálculo em termos gerais. É considerado o melhor tratado sobre Aritmética e Álgebra desta época, escrito por um europeu. A primeira edição deste seu trabalho data do ano de 1202, enquanto que uma ligeira revisão foi publicada em 1228. Este tratado manteve-se como um modelo durante dois séculos. É em um de seus capítulos que Fibonacci descreve um problema o qual gerou uma sucessão de números, e que posteriormente recebeu o nome de Sucessão ou Série de Fibonacci.

As fontes com que Leonardo de Pisa se apoiou para escrever o Liber abbaci provêm amplamente do mundo islâmico, por ele visitado durante as suas muitas viagens, e que nesta obra aprofundou e encadeou todo o material recolhido segundo o seu estilo pessoal e de gênio. O livro contém não só as regras para o cálculo segundo os novos numerais indo-arábicos, mas também numerosos problemas de vários gêneros mas de natureza prática, como é o caso do cálculo dos lucros, conversões de moedas e mensuração, adicionado de textos de temas de álgebra ainda atuais, tais como "miscelânea de problemas", "problemas sobre movimento", o "problema do resto chinês", e várias formas de problemas resolvidos pelo uso de equações quadráticas. Entre os muitos problemas, encontra-se espalhada pela obra uma limitada quantidade de teoria, tais como métodos para somar séries e justificações geométricas de fórmulas quadráticas.

Leonardo usou também os métodos do matemático árabe al-Khwárizmi para resolver equações quadráticas, além de outros matemáticos islâmicos como Abú Kámil e al-Karají. Deles obteve problemas literais, os quais encontram-se em manuscritos arábicos descobertos por ele durante suas viagens. A maioria dos problemas, porém, são de sua própria idealização e mostra a sua habilidade criativa.

O principal valor deste trabalho foi o de fornecer à Europa uma primeira introdução compreensiva para os matemáticos que se envolveram nestes temas. A leitura destes trabalhos foi base de uma grande variedade de métodos para resolver problemas matemáticos, métodos estes que propiciaram o ponto de partida para muitos dos avanços que foram conseguidos depois.

No que diz respeito à teoria dos números, apresentada no Liber quadratorum no ano de 1225, Leonardo não teve nenhum sucessor até que a Arithmetica de Diophantos foi de novo validada na Europa vários séculos mais tarde. De fato, as suas contribuições originais e o uso de várias técnicas de teoria dos números não foram apreciadas até cerca de 300 anos depois de sua morte, apesar de o material didático do Liber abacci e do Practica geometrae ter sido acolhido por diversos estudantes e mestres de cálculo, os quais foram influentes nos vários séculos que se seguiram, trazendo um sentimento renovado da matemática na Itália.

Fibonacci faleceu provavelmente em 1250, em sua cidade natal.

 

 

índice de nomes

Fibonacci

página inicial